Confronto na fronteira entre Colômbia e Venezuela termina sem feridos

Bogotá, 31 jul (EFE).- Um confronto entre motociclistas e transportadores colombianos e membros da Guarda Nacional venezuelana ocorrido na ponte Simón Bolívar, na fronteira entre os dois países, por causa do controle estrito imposto pela Venezuela, terminou sem feridos, segundo a imprensa local.

EFE |

Emissoras de televisão locais mostraram imagens nas quais colombianos lançavam objetos contra a Guarda venezuelana, que respondeu com gás lacrimogêneo.

Por causa dos enfrentamentos, a fronteira ficou fechada por quase quatro horas. Depois, o tráfego voltou ao normal.

Durante o confronto, os manifestantes queimaram pneus nas vias fronteiriças e lamentaram a situação que os impede de desenvolver seus trabalhos diários.

O presidente venezuelano, Hugo Chávez, ordenou o "congelamento" do comércio bilateral pelas acusações "irresponsáveis" de Bogotá sobre o suposto desvio de armas da Venezuela para as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc).

Chávez também instruiu a "retirada" do embaixador venezuelano na Colômbia, Gustavo Márquez, e advertiu que romperá definitivamente os laços com Bogotá diante de uma eventual "próxima declaração verbal" por parte do Governo do presidente colombiano, Álvaro Uribe, que signifique uma "nova agressão".

Os exportadores colombianos estimaram que suas vendas para a Venezuela cairão mais de 10% neste ano devido às recorrentes tensões entre ambos os países.

Números oficiais indicam que o comércio bilateral superou os US$ 7 bilhões em 2008, com uma balança comercial amplamente favorável à Colômbia. EFE ocm/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG