Ao menos 16 morreram e mais de 56 ficaram feridos durante troca de tiros após morte de soldado, na capital Mogadíscio

Ao menos 16 morreram e 56 ficaram feridos na capital da Somália, Mogadíscio, durante troca de tiros entre militares ligados ao governo e a polícia.

Vítimas são retiradas do local dos confrontos e levadas por parentes ao hospital de Medina
AP
Vítimas são retiradas do local dos confrontos e levadas por parentes ao hospital de Medina
A briga começou quando um policial executou um soldado vestido à paisana, suspeito de ser um insurgente islamita. De acordo com a BBC, os colegas do soldado chegaram ao local do disparo, em um mercado de Benadir, e começaram a atacar a polícia.

Além das vítimas levadas ao hospital, muitas das testemunhas ainda afirmaram terem visto famílias recuperando os corpos de parentes no local do acidente, o que pode indicar um número de vítimas ainda maior. "Muitas vítimas foram rapidamente levadas ao hospital, mas vi cerca de quatro corpos, dentre eles os de duas mulheres, serem levados por parentes para serem enterrados. Jamais presenciei tal tragédia", descreveu à AFP Abdirahman Muktar Hussein.

As mortes evidenciam a falta de disciplina e comando das Forças Armadas da Somália depois de 20 anos de guerra civil, período em que houve diversos tiroteios entre policiais e soldados. Segundo a Associated Press, analistas afirmam que as forças do país representam uma coleção de milicianos bem treinados.

*Com AP, BBC e AFP

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.