Zamboanga (Filipinas), 27 out (EFE).- Pelo menos 13 rebeldes da Frente Moura de Libertação Islâmica (FMLI) e um soldado morreram hoje quando o Exército filipino atacou uma base da guerrilha na ilha de Mindanao, ao sul do arquipélago, indicaram fontes militares.

O porta-voz do Comando de Mindanao Oriental, Randolph Cabangbang, assinalou em entrevista coletiva, que outros quatro combatentes do FMLI e também quatro soldados ficaram feridos no confronto travado em Mamasapano, localidade da província de Maguindanao, cerca de 860 quilômetros ao sul de Manila.

Em meados de outubro, a Corte Suprema anulou o polêmico memorando de entendimento entre o Governo e o FMLI, suspenso desde agosto pelo recurso apresentado por alguns políticos cristãos do sul de Mindanao, afirmando que o Executivo dava muita autonomia aos muçulmanos dessa região.

A decisão gerou uma nova onda de violência na zona, que até agora já causou mais de 300 mortes e cerca de 500 mil refugiados.

Fundado em 1984, o FMLI é a maior organização separatista das Filipinas com mais de 12 mil integrantes.

Quase quatro décadas de conflito étnico, religioso e tribal ocasionaram 120 mil mortes e cerca de 2 milhões de refugiados em uma das áreas mais pobres do arquipélago. EFE rp/jp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.