Um confronto entre prisioneiros e guardas penitenciários em um presídio perto de Damasco, na Síria, deixou pelo menos 25 presos mortos neste sábado, de acordo com o Observatório Sírio para Direitos Humanos. A instituição, baseada em Londres, afirma que os presidiários teriam morrido depois que a polícia militar abriu fogo contra prisioneiros muçulmanos.

As autoridades sírias ainda não se pronunciaram sobre o caso. Um prisioneiro chegou a dizer à BBC que os mortos no presídio, que abriga na maioria presos islâmicos, seriam muito mais de 25.

O confronto teria sido detonado por operações em que os agentes penitenciários teriam espancado alguns presos e profanado o Corão, o livro sagrado islâmico.

De acordo com os presos, as operações, que aconteceriam sempre ao amanhecer, teriam sido uma reação das autoridades a um protesto dos detentos há várias semanas contra as más condições na prisão.

O Observatório Sírio para Direitos Humanos afirmou que um presidiário disse, através de um telefone celular, que a revolta deste sábado foi iniciada por presos muçulmanos.

A organização diz ainda que vários prisioneiros subiram para o telhado do presídio para escapar do tiroteio dos guardas.

"O Observatório Sírio para Direitos Humanos exige que o presidente sírio, Bashar al-Assad, intervenha imediatamente para parar este massacre", afirma o grupo em seu site na internet.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.