Confronto com grupo armado deixa 3 mortos e 7 feridos na Turquia

Istambul, 27 abr (EFE).- Pelo menos três pessoas morreram hoje e outras sete ficaram feridas em um tiroteio entre a Polícia e uma organização armada de extrema-esquerda no bairro de Bostanci, em Istambul.

EFE |

Segundo informou hoje a emissora de televisão "NTV", o confronto começou às 5h30 locais (23h30 de domingo em Brasília) durante uma grande operação policial contra organizações ilegais.

Em um dos apartamentos que foram alvo da operação, terroristas atacaram os agentes com bombas e tiros. Um morador do edifício contou que duas pessoas, supostamente membros da organização ilegal, pediram ajuda para vários vizinhos.

Sete policiais ficaram feridos nos dois primeiros ataques com bombas, um cinegrafista da "NTV" recebeu um tiro na orelha e um morador do bairro também foi atingido por um disparo.

Um dos agentes feridos e o morador morreram pouco depois no hospital. Além disso, um dos supostos terroristas foi abatido pelas forças de segurança, que encerraram a operação por volta das 12h locais (6h de Brasília).

Em entrevista coletiva, o ministro do Interior turco, Besir Atalay, informou que os agentes mataram um suposto terrorista, Orhan Yilmazkaya, da direção do grupo armado de extrema-esquerda Quartéis Revolucionários.

"A pessoa morta é alguém que conhecíamos e que vínhamos seguindo.

É um dos três líderes desta organização", disse Atalay.

Segundo a "NTV", após o fim do combate, foi ouvida uma forte explosão no edifício, aparentemente controlada pela Polícia.

O ministro turco explicou que foram registrados 60 residências e locais de trabalho onde supostamente existiam membros de grupos ilegais " separatistas de extrema esquerda".

"Foram detidas cerca de 40 pessoas, 11 delas dos Quartéis Revolucionários", disse Atalay, acrescentando que a Polícia apreendeu uma grande quantidade de explosivos e armamento.

O titular de Interior assinalou que as forças policiais têm informações de que a organização estava preparando grandes ataques para os próximos dias.

Segundo o Ministério do Interior, este grupo de extrema-esquerda recebe apoio logístico do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), a maior organização armada da Turquia e que reivindica a independência dos curdos.

De acordo com fontes policiais citadas pela "NTV", os Quartéis Revolucionários foram responsáveis pelos ataques ao Comando do Primeiro Exército e à sede provincial do Partido da Justiça e do Desenvolvimento (AKP, no Governo), ambos ocorridos em Istambul no ano passado. EFE dt-amu/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG