Forças militares estão trocando tiros com grupo que pode ser partidário do ex-presidente Ben Ali, foragido na Arábia Saudita

As forças militares que protegem os arredores do palácio presidencial de Cartago, nas proximidades de Túnis, estão trocando tiros com um grande grupo de homens armados que haviam tentado invadir a sede da presidência tunisiana, segundo informaram algumas testemunhas.

Segundo as versões, os agressores poderiam ser partidários do general Ali Sariati, que foi chefe de segurança do ex-presidente Zine el Abidine Ben Ali, foragido na Arábia Saudita desde esta sexta-feira. Ao ser repelido pelos militares, o grupo fugiu e está entrando nos jardins e casas da região de Cartago.

Os agressores estão armados com pistolas e disparam indiscriminadamente enquanto buscam refúgio nos telhados das vilas da região, segundo informou à Efe Nasli Hafsia, escritora e testemunha dos incidentes.

Os confrontos se estenderam em direção à área residencial de Gammart, onde muitas embaixadas estão localizadas, informaram à Efe fontes da diplomacia europeia. Entre as embaixadas e residências diplomáticas situadas em Gammart estão as da Espanha, França, Arábia Saudita e Líbano.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.