Cerca de 130 mil soldados estrangeiros estão no Afeganistão à espera de um reforço de mais 20 mil soldados

Cinco soldados americanos morreram nesta quarta-feira em dois ataques registrados no sul do Afeganistão, segundo a Força Internacional de Assistência à Segurança (Isaf), elevando para 12 os soldados mortos nas últimas 24 horas, todos no sul do país.

Em seu último comunicado, a Isaf informou que quatro soldados da organização morreram na explosão de uma bomba. Um quinto militar americano morreu vítima de disparos de revólver. "A política da Isaf é colocar nas mãos das autoridades os procedimentos de identificação", afirmou a organização, sem dar mais detalhes.

Horas antes, a Isaf reconheceu que outros três soldados morreram em um ataque do Taleban contra um centro da polícia afegã na cidade de Kandahar. Cinco civis também morreram.

O ataque foi executado na última terça-feira por um grupo de insurgentes contra o prédio da Polícia Nacional Afegã da Ordem Civil (Ancop) com um carro carregado de explosivos, armas curtas, lança-granadas e metralhadoras.

Segundo a Isaf, suas tropas e a polícia impediram que os agressores entrassem no local e mais tarde foram rechaçados com a chegada de novos reforços militares.

As milícias insurgentes assumiram a autoria do ataque em comunicado postado na internet, e reivindicaram a morte de "40" soldados afegãos e da Otan nas mãos de um grupo de cinco insurgentes do Taleban, dos quais, disseram, dois morreram e três escaparam.

Outros três soldados britânicos foram assassinados terça-feira supostamente por um soldado afegão que abriu fogo contra eles em uma base militar da conflituosa província afegã de Helmand (sul), conforme o Ministério afegão de Defesa.

No Afeganistão, estão 130 mil soldados estrangeiros à espera de um último reforço de 20 mil soldados. Em julho de 2011, deve começar a retirada militar, de acordo com o calendário proposto pelo presidente dos Estados Unidos, Barack Obama.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.