Conflito religioso deixa 38 mortos na Nigéria

Ao menos 38 pessoas morreram no Estado de Bauchi, no norte da Nigéria, em confrontos entre a polícia e membros de uma seita islâmica radical, informou nesta segunda-feira o comissário local Atiku Kafur.

AFP |

"No total, 38 pessoas morreram, incluindo um soldado e dois inocentes", habitantes de Bauchi, capital da província, disse Atiku Kafur à imprensa.

O líder local da seita Kala-Kato está entre os mortos, revelou o comissário, que identificou o homem como "Badamasi".

Segundo Kafur, a polícia prendeu 20 pessoas.

A Cruz Vermelha nigeriana já havia informado a morte de 33 pessoas nos incidentes em Bauchi, incluindo dois soldados e um policial.

O comissário Kafur destacou que os confrontos terminaram por volta das 14 horas locais (11 horas em Brasília), afirmando que tudo está "sob controle".

Kala-Kato, também conhecida como "Maitatsin", é um movimento islâmico radical presente em várias províncias do norte da Nigéria há décadas.

Revoltas envolvendo os membros da seita já sacudiram as cidades de Kano (1980) e Yola (1992), deixando milhares de mortos.

Segundo o comissário Kafur, o conflito em Bauchi foi causado por uma disputa interna na seita.

    Leia tudo sobre: nigériareligiãoáfrica

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG