Conflito mata 17 em porto pirata na Somália

Lutas armadas entre milícias de clãs mataram pelo menos 17 pessoas e feriram 30 no sábado em uma fortaleza pirata na costa da Somália, disseram testemunhas. O conflito começou de madrugada e se intensificou pela manhã, forçando a maioria dos residentes de Haradheere a fugir, contou o morador Farah Aden à Reuters por telefone via satélite.

Reuters |

"Os dois clãs estão lutando por causa de terras e de uma garota que foi estuprada na floresta. Infelizmente, as batalhas chegaram à cidade e continuam acirradas", disse ele.

A Somália vem sofrendo com a guerra civil desde 1991, e o governo do presidente Xeque Sharif Ahmed só controla pequenas porções da devastada capital Mogadício.

Os piratas, que atacam embarcações usando as rotas de comércio estratégicas que ligam a Europa à Ásia através do Golfo de Aden, operam a partir de várias bases costeiras remotas, incluindo Haradheere.

Um pirata no porto no centro da Somália, que permanece à margem da lei, disse estar preocupado que a matança possa reduzir o lucro das gangues marítimas.

"Tememos que nosso negócio seja interrompido caso os conflitos continuem", disse o pirata, que deu o nome de Mohamed, à Reuters por telefone via satélite de Haradheere.

"Somos todos membros desses dois clãs, e estamos preocupados que esta luta possa acabar indo parar no oceano."

A violência na Somália já matou mais de 18 mil pessoas desde o início de 2007 e deslocou um milhão. Agências de segurança ocidentais disseram que o fracassado estado no Chifre da África é um santuário de ataques políticos extremistas na região e além.

Leia mais sobre: piratas

    Leia tudo sobre: milíciaspiratassomália

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG