Conflito leva mais 10 mil congoleses a fugir para Uganda

Kinshasa, 27 nov (EFE).- Mais de dez mil pessoas cruzaram hoje a fronteira que separa a República Democrática do Congo (RDC) e Uganda, através da localidade de Ishasha, em Kanungi, no sudoeste do país, informou o escritório da ONU para a coordenação de assuntos humanitários (Ocha).

EFE |

A maioria dos refugiados, que se inscrevem no centro do Alto Comissariado da ONU para os Refugiados (Acnur) e no Governo ugandense perto de Ishasha, levam equipamento necessário para dormir, enquanto o Programa Alimentício Mundial (PAM) dá alimentos, segundo o Ocha.

Os recém chegados procedem de povoados congoleses a cerca de 50 quilômetros da fronteira ugandense e quase todos pedem para ser transferidos à localidade de Nakivale, cerca de 350 quilômetros ao leste, que oferece uma maior segurança, disse à imprensa a chefe da equipe de emergência da Acnur, Yumiko Takashima.

Os recém chegados fugiram dos combates nos arredores de Rutshuru e alguns afirmaram terem sido atacados e maltratados pelos rebeldes do Congresso Nacional para a Defesa do Povo (CNDP) de Laurent Nkunda.

"Os rebeldes mataram todo mundo em meu povoado. Levaram as crianças e mataram o resto da população", declarou Daudi, um refugiado de 25 anos. EFE st/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG