Bogotá, 8 jun (EFE).- O líder comunista e diretor do semanário Voz, Carlos Lozano, confirmou hoje que já existem contatos com o novo comandante-chefe das Forças Armadas Revolucionárias da Colõmbia (Farc), Alfonso Cano, para que haja uma aproximação e seja possível negociar uma troca de reféns por guerrilheiros presos.

O jornalista, uma das pessoas com canal aberto com o comando rebelde, disse em entrevista à "Rádio Caracol" que tentou estabelecer um primeiro contato com "Cano", cujo nome verdadeiro é Guillermo Leão Sáenz, por diversas vias, e que tudo segue "por um bom caminho".

Lozano acrescentou que ele e o ex-ministro Álvaro Leyva combinaram de entrar em contato com o novo chefe dos rebeldes, após serem autorizados pelo presidente Álvaro Uribe, para tentar um avanço no alcance de um acordo humanitário.

"Conhecida a morte de 'Manuel Marulanda', achamos conveniente tentar um pouco falar com o novo chefe das Farc, que, como se sabe, é 'Alfonso Cano' (...). Posso dizer que tudo está seguindo por um bom caminho", afirmou.

Lozano disse ainda que todos os contatos foram estabelecidos de maneira "discreta" e "cautelosa", de maneira coordenada com o grupo de países amigos (Espanha, França e Suíça).

"Não me atrevo a dizer nada além de que já há um contato aberto.

Mas posso assegurar que tudo vai por um bom caminho e já há canais de comunicação", acrescentou.

O líder do Partido Comunista Colombiano pediu que não seja desconsiderada a ajuda oferecida por outras pessoas ou Governos.

Por sua vez, o ministro do Interior e Justiça, Carlos Holguín, confirmou que Leyva e Lozano ainda têm a autorização que o Governo lhes deu no começo de maio para tentar uma comunicação direta com as Farc na busca de uma acordo humanitário.

"Leyva está autorizado pelo Governo ,junto com o senhor Lozano, a buscar contatos e antecipar gestões humanitárias", disse o funcionário a jornalistas. EFE fer/sc

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.