Confirmada derrota dos Kirchner nos maiores distritos argentinos

Buenos Aires, 29 jun (EFE).- A peronista Frente para a Vitória, da presidente argentina, Cristina Fernández de Kirchner, perdeu nos principais distritos do país e, com isso, não tem mais o controle no Parlamento, segundo dados oficiais divulgados hoje com mais de 95% dos votos apurados.

EFE |

Francisco De Narváez, à frente da coalizão de peronistas dissidentes e conservadores União-PRO, venceu a eleição de deputados na província de Buenos Aires, o maior distrito do país, com 34,58% dos votos contra 32,11% a favor do ex-presidente Néstor Kirchner, marido e antecessor de Cristina no cargo.

Em terceiro lugar ficou o Acordo Cívico e Social (ACS), uma aliança da União Cívica Radical (UCR) com socialistas e independentes, com 21,48%, seguida pelo peronista dissidente Novo Encontro, com 5,56%.

Na capital argentina, o segundo distrito eleitoral do país, também ganhou a União-PRO, liderada por Gabriela Michetti, que reuniu 31,09% dos votos, seguida pelo cineasta Fernando Solanas, do esquerdista Projeto Sul, com 24,21%.

Em Córdoba (centro), terceiro distrito eleitoral, a UCR ganhou as eleições de deputados com 29,04%, seguida pela Frente Cívica, de peronistas dissidentes, com 27,97%, e pelos governistas, que ficaram em terceiro com 25,66 %.

A Frente Cívica ganhou também duas das três bancas de senadores de Córdova em disputa com 30,66% dos votos, enquanto a outra ficou nas mãos da UCR, partido mais antigo do país.

Os resultados provisórios das eleições de domingo, em que foi renovava metade das 257 cadeiras de deputados e um terço das 72 do Senado, mostram que a Frente para a Vitória perdeu a maioria parlamentar, embora tenha se mantido como principal força política apesar do avanço do Acordo Cívico e Social e da União-PRO.

Nesse sentido, o Governo e seus aliados perderam 22 de suas 137 cadeiras de deputados e quatro de suas 40 no Senado, com o que deixarão de ter a maioria própria nas duas câmaras em 10 de dezembro próximo, quando os legisladores eleitos no domingo assumirem.

O Acordo Cívico e Social passará a ser a segunda força política com 76 cadeiras de deputados, 15 mais que as atuais, enquanto a União-PRO só somará 11, e chegará a 25, se tornando o terceiro grupo majoritário.

No Senado, o Governo se manterá como força majoritária seguido pelo Acordo Cívico e Social, com 23 cadeiras (mais sete) e por peronistas dissidentes que mantiveram sua representação e ficaram com nove.

Contra todas as previsões, a Frente para a Vitória perdeu a eleição de deputados em Santa Cruz, província natal de Kirchner, ao reunir 41,17% dos votos contra 42,54% a favor do Acordo Cívico e Social.

A Frente para a Vitória e seus aliados também perderam nas províncias de Mendoza, Catamarca, Corrientes, Entre Ríos e Neuquén, enquanto ganharam nas de Chaco, Misiones, Santiago del Estero e Tucumán. EFE alm/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG