Confirmação dos restos mortais de Guevara traz esperança, diz Córdoba

Bogotá, 4 abr (EFE).- A confirmação de que os restos de Julián Ernesto Guevara, oficial da Polícia colombiana que morreu no cativeiro em poder das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia, traz esperança para uma troca dos reféns mantidos pelo grupo pelos rebeldes presos, disse hoje a senadora e mediadora de paz Piedad Córdoba.

EFE |

"Isto cria muitas esperanças, (porque) demonstra a vontade real das Farc de fazer um acordo humanitário", afirmou a senadora em entrevista à rádio de Bogotá "RCN".

"Que isto sirva para gerar um esforço e avançar em uma troca humanitária", insistiu Córdoba, para quem em seu país só "há um caminho: a negociação, o diálogo".

As Farc mantém 22 militares e policiais em cativeiro a fim de trocá-los por 500 rebeldes presos, incluído vários extraditados aos Estados Unidos, mediante um acordo de troca humanitário com o Governo.

A senadora, que serve de ponte com os rebeldes, liderou as missões esta semana, nas quais foram recolhidos os restos de Guevara e recebidos dois reféns que as Farc mantinham cativos, sempre em coordenação com o Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV), a Igreja Católica e o apoio de dois helicópteros emprestados pelo Brasil.

A confirmação de que os restos correspondiam a Guevara foi feita neste sábado pelo Instituto Nacional de Medicina Legal e Ciências Legista (INMLCF), cujo laboratório de genética comparou o DNA que dos restos mortais com o de Imperatriz de Guevara, a mãe do oficial.

EFE jgh/pb

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG