Conferência quer mais recursos para preservar a vida selvagem

A Convenção sobre o Comércio Internacional de Espécies em Risco (CITES, na sigla em inglês) pediu neste sábado mais recursos para preservar a vida selvagem, no início de uma reunião em Doha que examinará o destino de espécies ameaçadas.

AFP |

Reunida até 25 de março, a conferência da CITES, que regulamenta ou proíbe o comércio de 34.000 espécies da fauna e da flora selvagem desde 1975, estudará 42 propostas de inscrição ou reforço das normas comerciais.

A CITES pretende regulamentar o comércio de espécies selvagens, fonte de recursos para as comunidades locais, sobretudo quando o excesso de exploração ameaça a sobrevivência.

Para executar a missão, a convenção -- que dispõe apenas de cinco milhões de dólares por ano - pede agora um aumento significativo do orçamento.

"Sem financiamento adequado, a CITES corre o risco de esquecer espécies muito importantes", afirmou o secretário-geral da convenção, Willem Wijnstekers.

A CITES almeja um aumento de 30% do orçamento.

Sushi em extinção
Em Doha, o destino do atum vermelho, vítima do sucesso mundial do sushi, e cujo comércio movimenta bilhões de dólares, será um dos temas centrais da conferência.

Uma das propostas é de proibir totalmente as exportações e importações do atum vermelho ( Thunnus thynnus ).

Leia mais sobre: Espécies ameaçadas

    Leia tudo sobre: animais

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG