Conferência da Igreja da Inglaterra começa com veto à presença de bispo gay

Londres, 20 jul (EFE).- Bispos anglicanos de todo o mundo acompanharam hoje, na Catedral de Canterbury (Inglaterra), a cerimônia religiosa que abriu a Conferência Episcopal de Lambeth, que deverá ser marcada pela polêmica sobre a ordenação de religiosos homossexuais.

EFE |

O arcebispo de Canterbury, Rowan Williams, decidiu não convidar para o encontro, que acontece a cada dez anos, o primeiro bispo anglicano abertamente homossexual, Gene Robinson, cuja ordenação nos Estados Unidos em 2003 causou graves divisões na Igreja Anglicana.

Williams agiu assim para preservar a unidade de sua Igreja, que também está se dividindo entre os que são a favor e contra a ordenação de mulheres, autorizada, após um longo debate, no Sínodo Geral da Igreja da Inglaterra, realizado no último dia 7.

Mesmo com sua participação vetada na conferência de Lambeth, Robinson viajou até Kent para, segundo ele, fazer ouvir sua voz, o que pode ofuscar as deliberações do encontro religioso.

A decisão de Williams de impedir a participação do bispo gay também não conseguiu evitar o boicote de até 25% dos bispos convidados - integrantes do setor tradicionalista -, contrários à presença dos bispos americanos responsáveis pela ordenação de Robinson.

Entre os bispos que boicotaram a conferência estão líderes anglicanos de Nigéria, Ruanda, Uganda e Austrália, assim como os de alguns países latino-americanos.

A cerimônia religiosa de duas horas de duração e celebrada por Williams, que abriu oficialmente a importante reunião episcopal anglicana, começou com uma procissão dos 650 bispos presentes, que demoraram quase meia hora para entrarem no templo.

No sermão, o reverendo Duleep de Chikera, bispo de Colombo, fez referência às dificuldades que a Igreja da Inglaterra atravessa.

"Somos uma comunidade ferida, alguns de nós não estão aqui e isso é uma indicação de que tudo não está bem. Certamente, a crise é complexa, não é uma crise que possa ser resolvida em um instante", disse.

"O caminho a seguir é longo e árduo, um caminho que comprovará nossa oração, nossa fé e nossa confiança entre nós e, certamente, em Deus", disse.

O bispo acrescentou que deve haver igualdade "para todos", sem levar em conta "a cor, o gênero e a orientação sexual".

Amanhã, serão celebrados os principais atos da conferência, após três dias de oração e reflexão dirigidos pelo primaz anglicano.

Durante as duas semanas da reunião, os participantes discutirão assuntos como a missão da igreja, a evangelização, a sexualidade humana, a justiça social, o meio ambiente e a violência contra as mulheres.

Os bispos interromperão suas deliberações na próxima quinta-feira, quando vão se unir a líderes de outras confissões em uma passeata pelo centro de Londres para destacar os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio relacionados à pobreza.

A conferência, na qual não haverá votação nem resoluções, será assistida por 75 representantes de outras igrejas e comunidades cristãs. EFE ep/bm/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG