Condoleezza Rice viaja a Nova York para promover cessar-fogo em Gaza

Washington, 6 jan (EFE).- A secretária de Estado americana, Condoleezza Rice, viaja hoje a Nova York para se reunir na ONU com ministros de Exteriores árabes e promover um plano de cessar-fogo entre o movimento islâmico Hamas e Israel, informaram fontes do Departamento de Estado.

EFE |

"O propósito de sua viagem é se unir aos esforços da comunidade internacional a favor de um cessar-fogo", disseram as fontes, que falaram sob condição de não serem identificadas.

Rice partirá da base aérea de Andrews, nos arredores de Washington, no início da tarde, e, após chegar a Nova York, terá consultas com ministros árabes e outros aliados, assim como com o presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Abbas, segundo as mesmas fontes.

A chefe da diplomacia americana permanecerá até quarta-feira em Nova York, onde também manterá conversas com o ministro de Exteriores da Turquia, Ali Babacan.

Rice assistirá também à reunião do Conselho de Segurança da ONU marcada para esta tarde, a fim de tentar conter a intervenção israelense na Faixa de Gaza.

Abbas prevê apresentar ao principal órgão da ONU um novo projeto de resolução no qual se pede um cessar-fogo, a suspensão do bloqueio a Gaza e o posicionamento de observadores internacionais.

A dúvida é se os Estados Unidos cederão às pressões e apoiarão um texto desta natureza, depois que, no sábado, impediu a adoção no Conselho de Segurança de uma declaração presidencial que pedia o fim da violência.

O porta-voz do Departamento de Estado americano, Sean McCormack, explicou na segunda-feira que Washington busca um cessar-fogo "sustentável, durável e sem limite de tempo", com base em três pilares.

Entre os elementos que essa trégua deve incorporar têm que estar o fim dos lançamentos de foguetes, a abertura das passagens fronteiriças e uma solução para os túneis subterrâneos, pelos quais entra o contrabando de armamento.

No entanto, e apesar dos esforços da comunidade internacional para conseguir o fim da violência na Faixa de Gaza, Israel voltou hoje a rejeitar uma trégua.

A ofensiva que Israel lançou em 27 de dezembro causou a morte de pelo menos 500 palestinos e feriu outros 2,7 mil. EFE cae/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG