Condições do FMI ameaçam economia, diz Ortega

Manágua, 27 jun (EFE).- O presidente da Nicarágua, Daniel Ortega, disse hoje que o Fundo Monetário Internacional (FMI) quer impor condições que representam ameaças de morte para a economia de seu país.

EFE |

Em um ato realizado em Posoltega, no noroeste do país, Ortega disse que o FMI - que chamou de "Fundo da Morte Internacional" - quer que em seu país desapareçam as exonerações aos setores sociais, meios de comunicação, igrejas e ONGs.

Segundo o líder, o fundo também quer que seu Governo aprove imediatamente uma reforma tributária, o que significa mais impostos para os nicaragüenses, em meio ao impacto da crise econômica e financeira global.

Ortega disse ainda que o FMI quer a redução das pensões de milhares de nicaragüenses.

"Querem nos tratar como escravos, e ameaçam que não haverá acordo se não aceitarmos estas condições, que colocam a Nicarágua à beira do abismo", disse.

O presidente da Nicarágua afirmou que o FMI tem de cumprir o que foi dito por Estados Unidos e Europa, de que é preciso destinar recursos rapidamente a países de economias pequenas para que se defendam da crise mundial.

Se a Nicarágua conseguir chegar a um acordo com o FMI, poderá receber este ano mais de US$ 35 milhões. EFE fm/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG