Condenados venezuelanos que colocaram explosivos em embaixada dos EUA

Caracas, 20 dez (EFE) - Um tribunal de Caracas condenou a dez anos de prisão dois venezuelanos que, em outubro de 2006, colocaram explosivos nas proximidades da embaixada dos Estados Unidos que não chegaram a ser detonados, indicou a Procuradoria Geral. Os condenados, José Rojas e Teodoro Darnott, foram acusados de terrorismo, já que com a explosão dos artefatos pretendiam, segundo a Procuradoria, criar um clima de terror, dano à coletividade e comoção nacional. Rojas, que recebeu treinamento pela internet de Darnott, foi surpreendido em Caracas por policiais municipais justo após ter deixado perto da embaixada dos Estados Unidos os explosivos. Dias depois, Darnott foi detido em Maracaibo, 800 quilômetros ao oeste de Caracas. Ele teria elaborado um plano para a colocação de artefatos explosivos em diferentes regiões do país.

EFE |

De acordo com a Procuradoria, os dois cidadãos são "seguidores do Islã" e cumprirão a condenação nas dependências, em Caracas, da Direção dos Serviços de Inteligência e Prevenção (Disip), a Polícia de segurança do Estado. EFE rr/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG