Abdelmajid Zerghut, o imame marroquino de uma mesquita de Firizi (Itália), extraditado para seu país por suspeita de envolvimento nos atentados de 16 de maio de 2003, em Casablanca, foi condenado nesta quinta-feira a cinco anos de prisão pelo tribunal antiterrorista de Salé (próximo a Rabat).

O tribunal manteve a acusação de "formação criminosa para preparar e cometer atos terroristas com o objetivo de atentar gravemente contra a ordem pública", mas o inocentou da acusação de "preparação de atos 'jihadistas' dentro do Marrocos".

A acusação queria uma pena de 30 anos de prisão.

Os atentados de Casablanca deixaram 45 mortos, incluindo os 12 suicidas.

Zerghut, de 43, foi extraditado da Itália para o Marrocos em 2008.

heg-mc/tt

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.