Condenado à morte nos EUA alega ser muito gordo para ser executado humanamente

Um homem condenado à morte em Ohio entrou com uma ação contra o Estado, argumentando que devido a sua obesidade sofrerá demais com a injeção letal, indicou o escritório do Promotor nesta terça-feira.

AFP |

"Ele argumentará que é tão gordo que tem veias frágeis e seus advogados estão questionando se uma injeção letal será suficiente para causar a morte", informou à AFP Jim Gravelle, porta-voz do promotor de Ohio.

Richard Cooey, de 41 anos, foi condenado à morte pelo assassinato e estupro em 1986 de duas estudantes universitárias. Sua execução, que havia sido suspensa antes de 2003, está prevista para o dia 14 de outubro.

Com 1,73 metro de altura, Cooey pesava 125 kg em maio e engordou desde então, informaram funcionários da prisão ao Columbus Dispatch.

Os advogados de Cooey apresentaram uma demanda em uma corte federal por considerarem que devido ao seu peso, as suas veias frágeis e à medicação que toma contra enxaqueca poderá sofrir "dor desnecessária na execução da sentença de morte," segundo o texto.

A injeção letal violaria os direitos de Cooey de acordo com a Constituição norte-americana, que é contrária ao castigo cruel e inusual, argumentaram seus advogados.

"Nos reuniremos com nosso cliente, com o Departamento Correccional, discutiremos o expediente criado e depois decidiremos o que fazer, provavelmente dentro de um mês," disse Gravelle.

vmt/dm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG