Concessões na OMC sobre alimentos preocupam agricultores da UE

Por William Schomberg BRUXELAS (Reuters) - Os agricultores europeus estão preocupados com as concessões agrícolas que podem ser feitas em nome de um acordo comercial global, pois temem que isso afete a agropecuária no bloco.

Reuters |

Os representantes da União Européia na chamada Rodada Doha da Organização Mundial do Comércio chegaram neste mês a um acordo preliminar com os demais grandes participantes do processo sobre como tratar os produtos agrícolas 'sensíveis'.

'O que mais nos preocupa é o impacto sobre a carne, por causa da importância desse setor na Europa', disse Shelby Matthews, presidente da entidade agrícola pan-européia Copa-Cogeca.

A Rodada Doha foi lançada em 2001, com o objetivo de liberalizar o comércio global, mas esbarra em vários entraves, principalmente a redução de tarifas e subsídios agrícolas nos países desenvolvidos. A abertura dos setores industriais e de serviços nos países em desenvolvimento é outro entrave à conclusão do processo.

Pessoas ligadas às negociações dos 'produtos sensíveis' dizem que o acordo em discussão geraria mais concorrência para os produtores europeus de carne, porco, frango, laticínios, açúcar e cereais, entre outros.

Os agricultores europeus querem classificar esses produtos como sensíveis, protegendo-os do impacto total das reduções tarifárias.

Mas, como compensação, a UE teria de aceitar quotas fixas de importação desses produtos, estabelecendo volumes que poderiam ser importados com tarifas reduzidas ou sem tarifas.

Os ministros dos países da OMC devem se reunir em maio em Genebra para uma nova tentativa de fechar um acordo. Analistas dizem que o prazo está se esgotando por causa do clima político-eleitoral nos EUA e em outros países importantes.

O acordo sobre produtos 'sensíveis', já aceito por UE, EUA, Canadá, Japão, Austrália e Brasil, ainda precisa ser submetido ao plenário da OMC.

Há sinais nesta semana de que ainda há diferenças a respeito de detalhes entre essas seis potências comerciais. Sob anonimato, um diplomata europeu disse que o acordo não está garantido.

Os grupos agrícolas europeus estão intensificando seus protestos contra a oferta da UE nas negociações. Produtores rurais irlandeses planejam uma manifestação na quinta-feira durante a visita a Dublin do presidente da Comissão Européia (Poder Executivo do bloco), José Manuel Durão Barroso.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG