Comunistas convocam manifestação pela renúncia do Governo russo

Moscou, 28 mar (EFE).- Os comunistas russos convocaram para 4 de abril uma manifestação pela renúncia do Governo do primeiro-ministro do país, Vladimir Putin, por descordarem das medidas adotadas contra a crise econômica.

EFE |

"Uma nova situação revolucionária está se forjando. A firmeza da verticalidade do poder é ilusória", afirmou Gennady Ziuganov, líder do Partido Comunista, citado pela agência "Interfax".

Ziuganov, várias vezes candidato à Presidência russa, disse que o desemprego cresce, que cada vez mais empresas fecham e que "a paciência do povo tem limite".

Além disso, o líder do PC russo destacou que "a baleia" que impulsiona a economia russa, o petróleo e gás, está perdendo "peso rapidamente".

Na opinião dele, o fato de as autoridades recorrerem às forças de segurança para combater a oposição demonstra sua "falta de segurança".

"Uma coisa é certa: o vento da História volta a soprar do lado das forças de esquerda, das velas de nosso partido", disse.

O comunista pediu a todos os líderes do PC que se unam aos protestos e ajudem a "formar uma ampla frente de ação para mudar o curso político, econômico e social do país".

Especificamente, pediu a renúncia dos ministros da Defesa, Anatoli Serdiukov, por considerá-lo incapaz de modernizar as Forças Armadas, e lembrou que "os militares estão muito descontentes com suas reformas".

Sobre o ministro das Finanças, o liberal Alexei Kudrin, alvo habitual de suas críticas, Ziuganov acusou-o de acabar com a indústria transformadora e a agricultura.

Como medidas programáticas, o líder comunista propôs a nacionalização das indústrias estratégicas e dos setores mais afetados pela atual crise financeira.

Além disso, sugeriu obrigar as famílias com mais de US$ 3 milhões em ativos que compre títulos do Estado para apoiar a economia nacional. EFE io/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG