Santiago do Chile, 26 jul (EFE).- Representantes da comunidade palestina no Chile, uma das maiores do mundo, lamentaram hoje as pichações ofensivas contra o futuro Estado palestino que apareceram na capital chilena e denunciaram à Polícia que são vítimas de perseguição no país.

Várias pessoas da grande colônia palestina em Santiago chegaram este domingo aos arredores do Clube Palestino, onde desconhecidos escreveram no chão frases como "Árabe=terrorismo" ou "Palestina não existe", expressões repetidas em frente ao Colégio Árabe.

Eduardo Karmy, reitor do centro de ensino, chamou a atenção para a existência de uma ou várias pessoas dedicadas a este tipo de coisas e que se preocupam em cometer dano e gerar preocupação na comunidade.

O presidente da União Geral de Estudantes Palestinos no Chile, Marcelo Delivar, lembrou que a Federação Palestina já recebeu mensagens e ligações telefônicas de ameaça, "mas jamais algo deste tipo que atente diretamente contra a propriedade privada".

Nadia Garib, secretária-geral da Federação Palestina, ligou as ações a uma campanha para tentar tachar o palestino como terrorista.

"Coisa que nós não somos", acrescentou. EFE mc/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.