Comunidade judaica condena profanação de cemitério em Berlim

Berlim, 1 mai (EFE).- A comunidade judaica da Alemanha condenou hoje a profanação de seu cemitério no bairro de Weissensee, em Berlim, onde foram danificadas em duas noites consecutivas 50 lápides, coincidindo com os preparativos do Dia dos Mártires do Holocausto.

EFE |

"É um ato vergonhoso, atribuível a pessoas para quem o espírito do nacional-socialismo segue vivo", disse a presidente do Conselho Central dos Judeus da Alemanha, Charlote Knobloch.

O cemitério de Weissensee é "um dos mais representativos" para a comunidade judaica, prosseguiu Knobloch, que considera que não é casual o fato de a profanação ter acontecido esta semana, na qual em Israel lembra as vítimas do Holocausto.

Cerca de 30 túmulos foram destruídos na madrugada de terça-feira passada nesse cemitério, e na noite seguinte outro ato de vandalismo danificou outras 20 lápides.

O cemitério de Weissensee foi inaugurado em 1880 e nele estão enterrados 115.000 berlinenses, alguns deles judeus ilustres da cidade como o industrial Emil Rathenau e o hoteleiro Bertholt Kempinski.

O local é considerado patrimônio cultural da cidade e, como os museus, instalações e interesses da comunidade judaica da Alemanha, está sob vigilância especial.

No cemitério há um monumento em homenagem aos judeus assassinados em toda a Europa pelos nazistas. EFE gc/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG