Comunidade internacional saúda prisão de Karadzic

A prisão do líder sérvio da Bósnia, Radovan Karadzic, anunciada nesta segunda-feira, foi saudada pelo governo dos Estados Unidos. Nós cumprimentamos o governo da Sérvia, e agradecemos às pessoas que conduziram esta operação por seu profissionalismo e coragem.

BBC Brasil |

Esta operação é uma demonstração importante da determinação do governo sérvio em honrar seu compromisso de cooperar com o Tribunal de Crimes de Guerra da antiga Iugoslávia", disse nota da Casa Branca.

O governo americano afirmou ainda que "não existe uma homenagem melhor às vítimas das atrocidades da guerra do que trazer seus perpetradores à Justiça", lembrando que julho marca o 13ª aniversário do massacre de Srebrenica, em que mais de 7,5 mil bósnios morreram. Karadzic é acusado de liderar o massacre.

Richard Holbrooke, o diplomata americano que mediou os acordos de Dayton para a paz na Bósnia, em 1995, chamou esta segunda-feira de "dia histórico".

"Um dos piores homens do mundo, o Osama Bin Laden da Europa, finalmente foi capturado. É significativo que a Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte, a aliança de defesa ocidental) continuou a fracassar e os sérvios o capturaram (...) um grande, grande bandido foi retirado da cena pública", afirmou Holbrooke.

'Aspirações européias'
A prisão de Karadzic e de seu comandante militar, Ratko Mladic, ainda foragido, era condição para uma aproximação da Sérvia da União Européia. "Este foi um desdobramento muito positivo que vai contribuir para trazer justiça e reconciliação duradoura para o oeste dos Bálcãs", disse o presidente da Comissão Européia, José Manuel Barroso.

"Isto prova a determinação do novo governo sérvio de conseguir plena cooperação com o Tribunal Internacional de Crimes de Guerra. Também é muito importante para as aspirações européias da Sérvia", concluiu Barroso.

A Grã-Bretanha também sugeriu que a prisão do líder sérvio pode render frutos ao país na Europa.

"Esta prisão vai ajudar a encerrar as décadas de conflito na região e abrir caminho para um futuro europeu mais brilhante para a Sérvia e a região", disse o ministro das Relações Exteriores da Grã-Bretanha, David Miliband.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG