Comunidade internacional oferece ajuda ao Haiti após terremoto

PORTO PRÍNCIPE - Poucas horas após o terremoto de sete graus na escala richter que atingiu o Haiti, países ao redor do mundo anunciaram o envio de ajuda humanitária para amenizar a catástrofe. O secretário-geral da Organização dos Estados Americanos (OEA), José Miguel Insulza, pediu à comunidade internacional que mostre sua solidariedade real, efetiva e imediata ao Haiti, ajudando o país a atenuar os danos causados pelo tremor.

iG São Paulo |

Brasil

O presidente do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, manifestou preocupação com a situação do povo do Haiti e dos brasileiros que estão naquele país, Lula deu instruções para que sejam avaliadas as necessidades para que o Brasil possa apoiar o esforço de ajuda humanitária ao Haiti.

O governo brasileiro enviará até quinta dois aviões C-130 Hércules com 28 toneladas de alimentos e água para o Haiti. As aeronaves transportarão presunto, sardinha, açúcar cristal e água.

Os aviões sairão da Base Aérea do Galeão, no Rio de Janeiro. Paralelamente serão encaminhados mais US$ 10 milhões em ajuda.

Estados Unidos

Após o terremoto na noite de terça-feira, os Estados Unidos começaram imediatamente a mobilizar recursos para socorrer o Haiti e ordenaram o envio de pessoal especializado e 48 toneladas de material de resgate.


Bombeiro de Los Angeles prepara cão farejador para missão de resgate no Haiti / AFP

Em pronunciamento na Casa Branca, o presidente americano, Barack Obama, disse que os Estados Unidos serão um "amigo e parceiro" dos haitianos e farão um esforço "agressivo" para trabalhar no resgate de vítimas e entregar comida, água e remédios à população.

Segundo Obama, equipes de ajuda humanitária dos Estados da Flórida, Virgínia e Califórnia chegarão ao Haiti nesta quarta-feira e na quinta-feira, já que "as primeiras horas e dias são cruciais para salvar vidas". Outros profissionais já estão sendo preparados e, segundo Obama, os EUA trabalharão em conjunto com ONGs, com a missão de paz da ONU e parceiros na região e no mundo.

A equipe está formada, em geral, por bombeiros, paramédicos, especialistas em resgate, médicos de urgência, engenheiros estruturais, técnicos em materiais perigosos, cachorros de busca e adestradores, assim como especialistas em comunicações e em logística.

O presidente ainda estimulou os americanos a fazerem doações aos haitianos por meio do site da Casa Branca , apesar das dificuldades econômicas dos EUA. "Tragédias como essa nos lembram da humanidade que une todos nós", disse Obama. "Precisamos estar ao lado dos haitianos nesse momento de necessidade".

República Dominicana

O governo dominicano começou a enviar uma série de ajudas ao Haiti destinada às vítimas do terremoto desta terça-feira.

A nação caribenha, que compartilha com o Haiti a ilha de Hispaniola, enviou ao vizinho oito ambulâncias e 30 médicos para trabalhar nas tarefas de resgate. Cinco embarcações locais já estão trabalhando na zona de ajuda no Haiti, o país mais pobre da América.

Grã-Bretanha

O governo britânico expressou sua "profunda preocupação" pelo terremoto que sacudiu o Haiti e deve enviar ainda nesta quarta-feira uma equipe humanitária de ajuda.

Um porta-voz do Departamento de Ajuda Internacional (DFID, sigla em inglês) assinalou hoje que é preciso estabelecer quais são as necessidades do Haiti, por isso segue de perto a situação.

"Estamos profundamente preocupados pelo alcance do terremoto que sacudiu o Haiti. Parece que foi severo e causou consideráveis danos. Ainda não temos um panorama claro sobre as necessidades das autoridades haitianas ou das agências humanitárias", acrescentou a fonte.

França

Dois aviões franceses partirão nesta quarta-feira com destino ao Haiti para levar ajuda humanitária e pessoal especializado, informou hoje a Secretaria de Estado de Cooperação francesa.

Um dos aparatos sairá da cidade caribenha de Fort-de-France, na Martinica, e transportará uma equipe de militares e de pessoal da segurança civil e hospitaleira. O outro avião, que também transportará ajuda humanitária e pessoal, vai decolar de Marselha, no sudeste da França.

No total, a segurança civil francesa espera que 130 agentes estejam no Haiti nas próximas 24 horas.


Soldados franceses preparam mantimentos para enviar ao Haiti / Reuters

Alemanha

O ministro de Assuntos Exteriores da Alemanha, Guido Westerwelle, ofereceu hoje ao Haiti "toda a ajuda possível" para enfrentar as consequências do forte terremoto que sacudiu o país caribenho.

"O governo alemão apoiará o Haiti com toda a ajuda possível", disse Westerwelle em comunicado. O Ministério criou um comitê de crise que deverá determinar se há alemães afetados pelo terremoto e avaliar de que maneira pode ser prestado socorro nas zonas afetadas pela catástrofe.

Suíça

A Suíça anunciou nesta quarta-feira o envio imediato ao Haiti de uma equipe de intervenção de urgência para colaborar nos trabalhos de resgate. O grupo de ajuda partirá durante a manhã e servirá como missão intermediária para avaliar as necessidades no terreno.

Também se estuda a participação nas operações da Rede de Salvamento do Corpo Suíço de Ajuda Humanitária.

O porta-voz do Ministério de Assuntos Exteriores suíço, Lars Knuchel, disse que a Suíça também propôs ajuda direta ao governo haitiano.

Espanha

O governo espanhol, através da Agência Espanhola de Cooperação Internacional, prepara o envio de ajuda humanitária ao Haiti após o terremoto registrado na terça-feira.

A secretária de Estado de Cooperação espanhola, Soraya Rodríguez, está reunida com responsáveis da Agência Espanhola de Cooperação Internacional para organizar a operação de ajuda e seguir "minuto a minuto" a situação no país caribenho, disseram fontes oficiais.

O Ministério de Assuntos Exteriores precisou que a Embaixada da Espanha no Haiti constatou que, a princípio, não há vítimas entre os membros da colônia espanhola no Haiti.

Chile

O Chile se comprometeu a enviar um avião com ajuda para as vítimas do terremoto e um delegado especial para apoiar a nação caribenha.

Em comunicado, a presidente chilena Michelle Bachelet disse que "junto com o envio de um avião com o que se necessita no Haiti, vou enviar um Delegado Presidencial que foi o primeiro chefe da Minustah, Juan Gabriel Valdés".

Rússia

O presidente da Rússia, Dmitri Medvedev, ordenou o envio ao Haiti de um avião de transporte com um hospital de campanha, alimentos e remédios para as vítimas do terremoto.

Em conversa por telefone com o ministro de Situações de Emergência, Serguei Shoigu, Medvedev pediu que ele se encarregasse pessoalmente do assunto, como informa o Kremlin em comunicado.

Itália

A Direção Geral para a Cooperação e o Desenvolvimento (DGCS) da Itália decidiu hoje destinar 1 milhão de euros para as agências internacionais que trabalham na ajuda às vítimas do terremoto.

Em nota à imprensa do Ministério de Assuntos Exteriores italiano, a DGCS foi ativada imediatamente após se saber o alcance da tragédia - sobre a qual, por enquanto, não há número de vítimas - para oferecer, assim, a ajuda do governo italiano aos organismos que trabalham na área.

Equador e Peru

Os governos de Equador e Peru anunciaram nesta quarta-feira que vão enviar aviões com ajuda humanitária ao Haiti para atender as vítimas do forte terremoto que ontem atingiu o país caribenho.

Segundo a secretária equatoriana de Gestão de Riscos, María del Pilar Cornejo, seu país enviará profissionais treinados em busca e resgate, além de remédios e alimentos. Há também a intenção de mandar cães treinados para procurar sobreviventes sob os escombros.

Por sua vez, o ministro peruano da Defesa, Rafael Rey, informou que dois aviões da Força Aérea de seu país transportarão alimentos e outros artigos de primeira necessidade.

Leia mais sobre terremoto

    Leia tudo sobre: haiti

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG