Comunidade internacional analisa situação no Haiti

Montreal (Canadá), 25 jan (EFE).- A comunidade internacional começa a traçar hoje em Montreal um plano de emergência para aliviar a situação do Haiti e a estabelecer os parâmetros para um compromisso a longo prazo que permita a reconstrução do país.

EFE |

Mais de duas dúzias de países e organismos internacionais devem analisar na cidade canadense a situação humanitária que se vive no Haiti há 12 dias depois do terremoto que assolou o país e aumentar sua coordenação para solucionar os problemas surgidos.

Os responsáveis de Assuntos Exteriores do Grupo de Países Amigos do Haiti junto com os da República Dominicana, Japão, Espanha e União Europeia (UE), estabelecerão um acordo básico sobre a visão estratégica a longo prazo necessária para a reconstrução do país.

A definição dessa visão estratégica, que poderia ser similar ao Plano Marshall que reconstruiu a Europa após a Segunda Guerra Mundial, será determinada em uma futura cúpula de líderes e cuja data e lugar serão anunciados no final da conferência de Montreal.

As delegações oficiais, que incluem organismos como o Banco Mundial e o Fundo Monetário Internacional, também devem ouvir as organizações governamentais que estão trabalhando no Haiti.

Karen Palmer, porta-voz da Oxfam Canadá, que conta com cerca de 200 pessoas trabalhando no Haiti, disse à Agência Efe que seu grupo colocará que a conferência de Montreal aprove o cancelamento da dívida haitiana, apoio específico a mulheres e camponeses e que os planos de desenvolvimento sejam para todo o país e não para áreas específicas.

Palmer também disse que a curto prazo uma das maiores preocupações da Oxfam é a deterioração da segurança e os problemas nos campos de refugiados. EFE jcr/ma

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG