Comunidade Andina diz que lei de imigração afeta negociação com UE

Lima, 10 ago (EFE).-A presidente do Parlamento Andino (Parlandino), Ivonne Baki, afirmou hoje que as negociações para um acordo entre a Comunidade Andina (CAN) e a União Européia (UE) foram afetadas pela diretiva de retorno de imigrantes ilegais aprovada pelo bloco europeu.

EFE |

Baki assinalou também que espera que o tema possa ser solucionado já em setembro.

"Esperamos que em setembro se possa ter uma resposta, tomara que seja assim porque é algo que todos queremos e porque as negociações com a União Européia estão mal e deveria ser solucionada para continuar o que temos pendente", declarou Baki à agência oficial Andina.

"As negociações entre CAN e União Européia estão mal encaminhadas por esta diretiva de retorno. É natural este tipo de reação, não afeta apenas as relações comerciais, mas também políticas entre os povos", acrescentou.

A autoridade destacou, no entanto, que alguns países da UE tenham decidido não aplicar essa norma e manifestou sua esperança em que outras nações desse continente sigam um caminho similar.

Os países da CAN, integrada pela Bolívia, Colômbia, Equador e Peru, já manifestaram sua aberta rejeição à diretiva de retorno.

Diante das diferenças entre os andinos sobre o acordo de associação com a UE e o descontentamento com a lei de imigração, foi suspensa em julho passado a quarta rodada de negociações que seria realizada entre os dois blocos. EFE dub/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG