Comunicação com o piloto foi normal pouco antes do acidente

A gravação da conversação entre um piloto do avião que caiu no Estado de Nova York, provocando na noite de quinta-feira 50 mortos, e as torres de controle dos aeroportos vizinhos, não demonstra a existência de problemas, antes de o avião desaparecer das telas de radar.

AFP |

Nesta última gravação antes do acidente, publicada pelo jornal local Bufallo News, não é possível determinar claramente quem fala.

O Bombardier Dash 8-400 da companhia americana Continental Airlines, fretado pela Colgan Air, que fazia o trajeto entre Newark (Nova Jersey, leste) e Buffalo, norte do estado de Nova York (nordeste), caiu às 22H20 de quinta-feira (03H20 GMT de sexta-feira), cinco minutos antes da aterrissagem, morrendo os 49 ocupantes do aparelho e uma pessoa em terra.

A gravação começa com a voz de um dos pilotos do vôo 3407 que segue as instruções dadas pela torre de controle.

"Giro a esquerda a 310, Colgan 3407", diz o piloto antes de fazer silêncio.

"Colgan 3407, se aproxima", diz um controlador aéreo.

"Colgan 3407, Buffalo", ouve-se outro controlador.

"Colgan 3407, se aproxima", repete o controlador.

As comunicações entre o aparelho e as torres de controle ficam paradas, e o avião desaparece das telas de radar.

"Delta 1998, olhe à direita, cerca de 5 milhas (em torno de 8 km) para um Dash 8, deve estar a 2.300 (pés, cerca de 800 m). Vê alguma coisa?", pergunta o controlador a um piloto de um vôo Delta, perto de Buffalo.

"Negativo, Delta 1998", responde o piloto do Delta.

"Colgan 3407, Buffalo", interroga novamente o controlador pedindo logo depois a alguém para chamar a polícia.

"Colgan 3407, torre de controle de Buffalo, consegue me ouvir?", volta a perguntar o controlador ao Bombardier Dash 8-400.

"Há comunicações com terra? Deve falar com alguém, pelo menos 5 milhas a nordeste (inaudível) talvez em Clarence (a cidade onde caiu o avião, ndr), neste lugar, em direção a Akron, a polícia ou os serviços do xerife devem descobrir se há alguma coisa. O avião estava a 5 milhas (em torno de 8 km) e agora, não temos nenhuma resposta do aparelho", diz o controlador aéreo a um interlocutor em terra.

"Tudo o que posso dizer é que havia um avião na tela e que agora não podemos localizar", acrescenta.

"(Inaudível) Sou obrigado a deixá-lo, senhor, aparentemente temos uma emergência", responde o interlocutor não identificado.

"A todos os aviões nesta frequência, temos um Dash-8 que não chegou ao aeroporto", conclui o operador.

mac/jb/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG