Bogotá, 24 abr (EFE).- A senadora colombiana Piedad Córdoba aparece como uma suposta aliada das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) em um computador que pertencia a Raúl Reyes, então segundo homem na hierarquia da guerrilha quando foi assassinado em 1º de março em uma operação militar em solo equatoriano, informaram hoje meios de comunicação locais.

De acordo com as mensagens eletrônicas armazenadas no computador do guerrilheiro, a congressista, que aparece como "Teodora", mantém contatos com as Farc desde 2003, disseram a "Rádio Caracol" e o site do jornal "El Tiempo", que citaram fontes oficiais.

Os dois veículos acrescentaram que Córdoba, que intermediava com o presidente da Venezuela, Hugo Chávez, a libertação de um grupo de reféns das Farc, era uma das 12 pessoas encarregadas de promover uma estratégia para a guerrilha.

De acordo com as fontes, no mesmo computador, Reyes menciona que Córdoba chegou a comentar com ele que Chávez entregou a parlamentar uma ajuda equivalente a US$ 50.000 para obras sociais na região do Chocó, uma das mais pobres da Colômbia.

Diante dessa doação, o rebelde propôs às Farc dar à congressista uma soma duas vezes maior, acrescentaram as fontes.

A sala penal da Corte Suprema de Justiça (CSJ) do Peru já pediu ao Ministério da Defesa que envie toda as informações contidas no computador para avaliar a abertura de investigações. EFE gta/sc

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.