Comportamento de crianças fez polícia suspeitar de homem que sequestrou Jaycee

Duas policiais americanas que foram em parte responsáveis pela solução do sequestro de Jaycee Lee Dugard, que ficou 18 anos em cativeiro, afirmaram que começaram a suspeitar do suposto sequestrador, Philip Garrido, após observarem o comportamento robótico das duas crianças que estavam com ele no momento em que eles participavam de uma pregação religiosa em uma universidade. Em uma entrevista coletiva na sexta-feira, as policiais Lisa Campbell e Ally Jacobs afirmaram ter encontrado Garrido na terça-feira, no campus da Universidade da Califórnia, em Berkeley, onde as duas trabalham.

BBC Brasil |

Segundo as policiais, elas teriam começado a suspeitar do comportamento "estranho" das duas garotas que estavam com ele. As meninas, uma de 11 anos e outra de 15, são filhas que Dugard teve com Garrido durante os anos de cativeiro.

"Eu acho que Lisa perguntou (para as meninas) se elas iam à escola. As duas, como robôs, responderam: 'nós estudamos em casa'", disse a oficial Ally Jacobs.

A policial ainda afirmou ter notado que as garotas eram "extremamente pálidas em comparação" a Garrido, além de terem "olhos azuis penetrantes".

"Eu estava olhando para a filha mais nova, que estava sentada na minha frente, e ela ficava olhando fixamente para mim" afirmou. "Fiquei com a sensação de que estas crianças eram como robôs, foi minha intuição".

Condicional

Segundo as policiais, Garrido teria contado a elas sobre suas condenações anteriores por estupro e sequestro, mas disse que sua vida teria mudado.

As policiais então informaram ao oficial responsável pela liberdade condicional de Garrido sobre suas suspeitas, o que fez com que ele fosse convocado para prestar esclarecimentos na delegacia.

O suspeito compareceu então ao local junto com as duas garotas e uma mulher que se apresentou como Alissa e foi reconhecida depois como Jaycee Dugard, que havia sido sequestrada em 1991.

Acusações

Garrido e sua mulher, Nancy, estão detidos e devem comparecer diante de um tribunal no próximo dia 14 de setembro.

Em uma audiência na última sexta-feira, os dois acusados se declararam inocentes das 29 acusações relacionadas ao caso que pesam contra eles, incluindo o sequestro de Dugard.

A polícia está investigando agora a casa de Garrido, em busca de indícios do eventual envolvimento dele com assassinatos de prostitutas na década de 1990.

Vários corpos foram encontrados em uma área industrial perto de onde Garrido trabalhava. Jaycee Dugard e suas duas filhas estão agora hospedadas em um hotel nas proximidades de São Francisco.

    Leia tudo sobre: califórniaeuaseqüestro

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG