Comparecimento nas urnas é chave para resultado nos EUA

O comparecimento dos eleitores nas urnas será chave para determinar o vencedor das eleições presidenciais americanas nesta terça-feira. Isso porque apenas pouco mais da metade dos eleitores registrados deve fazer valer seu voto.

BBC Brasil |

Em 2004, os republicanos ganharam a batalha e conseguiram mobilizar mais seus partidários do que os democratas.

Este ano, a campanha do candidato republicano, John McCain, espera que a escolha de Sarah Palin, como vice, ajude a estimular o voto dos eleitores conservadores cristãos, tão importantes em 2004.

Ainda assim, os republicanos estão investindo menos pesado do que a campanha do candidato democrata, Barack Obama, determinada em encorajar seus simpatizantes e irem às urnas.

Os democratas travaram uma "batalha campal" nos Estados-chave, estabelecendo escritórios locais em Ohio, Flórida e Virgínia desde o término das primárias.

Grupos que apóiam o democrata, como sindicatos, estão gastando milhões para atrair votos para Obama, financiando estratégias de campanha como telefonemas e a caça de votos porta a porta.

Peso do eleitorado
Há evidências de que os democratas conseguiram alcançar mais seus partidários do que os republicanos.

Uma pesquisa realizada pelo Instituto Democracy Corps sugere que os democratas contataram três vezes mais eleitores do que os republicanos (21% contra 6%).

Obama conta com a preferência do eleitorado jovem, mas, na eleição passada, apenas 46% dos votantes com 18 a 24 anos votaram, em comparação com 72% dos eleitores com mais de 55 anos.

Na época, os americanos com menos de 35 anos representavam 30% do eleitorado potencial, mas apenas um quarto deles votou. Em contrapartida, eleitores com mais de 55 anos, que compunham 31% do eleitorado, contribuíram com 35% dos votos válidos.

Os eleitores brancos têm mais presença nas urnas, tendo contribuído na eleição passada com 67% dos votos. Este índice foi de 60% entre negros, 47% entre os hispânicos, e 44% entre os asiáticos.

Os mais pobres também comparecem pouco às urnas. Em 2004, 46% dos eleitores com renda anual de US$ 20 mil votaram, em comparação com 81% dos eleitores com ganhos de mais de US$ 100 mil por ano.

Neste sentido, Obama também sai na frente. Enquetes mostram que a maioria de eleitores com formação universitária prefere o democrata.

Eleição antecipada
Especialista em comparecimento nas unas do Centro de Estudo do Eleitorado Americano, Curtis Gans estima que "se o número de votos for alto este ano, o grande beneficiário será certamente Obama e os democratas".

No entanto, Gans acredita ser improvável que o número de votos entre a camada jovem aumente.

Este ano os democratas fizeram um grande esforço para estimular os eleitores a votarem antes da hora.

E como 32 dos 50 Estados americanos permitem eleições antecipadas, estima-se que até 30% dos votantes já computaram seus votos, um aumento se comparado com 22% dos eleitores que fizeram o mesmo na eleição passada.

A última pesquisa realizada pelo Instituto Pew dá vantagem ao democrata entre os eleitores que já votaram. De acordo com os números, 53% dos eleitores teriam escolhido Obama e 34%, McCain.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG