Companhias aéreas dos EUA suspendem operações no Haiti

NOVA YORK (Reuters) - As companhias aéreas norte-americanas Delta Air Lines e American Airlines cancelaram voos com destino ao Haiti ou provenientes daquele país depois de um terremoto de magnitude 7 na terça-feira, que pode ter matado milhares de pessoas. A Delta, a maior companhia aérea do mundo, cancelou seus voos do Aeroporto Internacional John F. Kennedy, em Nova York, para a capital do Haiti, Porto Príncipe, informou o porta-voz da empresa, Anthony Black, na quarta-feira.

Reuters |

A American Airlines informou por meio do porta-voz Tim Smith que seu último voo, do Haiti para Miami, partiu por volta das 21h45 (no horário de Brasília).

Ambas as companhias disseram não ter certeza de quando os voos para o Haiti serão retomados.

O epicentro do terremoto foi registrado a 16 quilômetros de Porto Príncipe e tremores de magnitude de até 5,9 foram sentidos na sequência. Cerca de 4 milhões de pessoas vivem na capital e nas cidades mais próximas.

O destino da empresa de cruzeiros Royal Caribbean Cruises em Labadee, no Haiti, não reportou danos visíveis, mas uma porta-voz disse estar apurando mais informações.

Nenhum navio da Royal Caribbean deve chegar a Labadee nesta quarta-feira. Um navio da Independence of the Seas deve partir para o país na sexta-feira.

A maior operadora de cruzeiros do mundo, a Carnival Corp, disse que não havia nenhum navio programado para fazer escalas no Haiti e acrescentou que sua programação de viagens não sofrerá alterações.

A JetBlue Airways informou que vai isentar seus clientes de pagar taxas adicionais para que possam remarcar seus voos à República Dominicana, país vizinho ao território haitiano.

O Departamento de Estado norte-americano recomendou a seus cidadãos que não viajem ao Haiti.

(Reportagem de Deepa Seetharaman em Nova York, Kyle Peterson em Chicago e de Karen Jacobs em Atlanta)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG