Pirate Bay mas não aclara financiamento - Mundo - iG" /

Companhia GGF aprova compra do Pirate Bay mas não aclara financiamento

Copenhague, 27 ago (EFE).- A companhia de software sueca Global Gaming Factory X (GGF) aprovou hoje em assembléia geral extraordinária a compra da portal sueco The Pirate Bay, dedicado à troca de arquivos pela Internet, apesar da direção não ter apresentado um plano para esclarecer como financiará a compra.

EFE |

A GGF tinha assegurado horas antes em comunicado que o diretor executivo da empresa, Hans Pandeya, estava disposto a injetar o capital necessário para realizar a operação, após conhecer-se a retirada de vários investidores nos últimos dias.

As ações da GGF estão suspensas desde a sexta-feira passada em Aktietorget, Bolsa de Valores onde cotam pequenas empresas suecas, já que a companhia de software não deu qualquer informação sobre como fará o financiamento da compra nem as garantias de empréstimo.

A Global Gaming Factory X tinha anunciado no último dia 30 de junho a compra do "The Pirate Bay" por 60 milhões de coroas (5,8 milhões de euros ou US$8,3 milhões), em uma operação que inclui, além disso, a aquisição de Peerialism e sua nova tecnologia para compartilhar arquivos.

O objetivo da GGF é impulsionar o lançamento de um novo modelo de negócio com "compensação" aos fornecedores de conteúdo e os donos da propriedade intelectual, anunciou na ocasião.

Às dúvidas sobre o financiamento da compra surgidas nas últimas semanas se acrescentaram outras relacionadas com a propriedade dos diferentes domínios do portal sueco ou do nome da marca, que trouxeram incerteza à operação.

A GGF possui uma das principais redes de cyber cafés e centros de jogos da Suécia, além de fornecer software, mas nos últimos meses teve problemas econômicos, com perdas no primeiro trimestre superiores a seu faturamento.

Um tribunal de Estocolmo condenou, há quatro meses, os quatro responsáveis do "The Pirate Bay", um dos principais portais do mundo para a troca de arquivos na Internet, a um ano de prisão e a pagar uma indenização de 30 milhões de coroas (2,9 milhões de euros ou US$4 milhões) por violar a lei de propriedade intelectual.

O fornecedor de serviços da internet "Black Internet", o principal servidor onde se aloja "The Pirate Bay", tirou o site do ar após uma sentença de um tribunal sueco e sob ameaça de multa de 500 mil coroas suecas (49,071 mil euros ou US$69,843 mil dólares).EFE alc/fk

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG