Comitê especial do Parlamento iraniano visitará prisão de Ewin

Teerã, 28 jul (EFE).- O porta-voz do comitê especial do Parlamento iraniano para acompanhar o caso dos detidos nas manifestações de protesto no Irã, Kazem Jalili, disse que este comitê visitará hoje a prisão de Evin, em Teerã.

EFE |

Jalili disse à agência local "Mehr" que, por outro lado, não visitarão a prisão de Kahrizak, ao sul da capital iraniana, já que "este é o mesmo centro em que o líder supremo, o aiatolá Ali Khamenei, ordenou recentemente seu fechamento, já que suas instalações não permitem cumprir os direitos dos detidos".

Após as grandes manifestações no Irã, e especialmente em Teerã, para protestar contra o resultado das eleições presidenciais de 12 de junho, muitas informações não confirmadas afirmam que a maior parte dos detidos está em condições penosas em Kahrizak.

A prisão de Kahrizak foi construída anos atrás para encarcerar os detidos durante o plano para aumentar o nível de segurança nas cidades, e consta de duas imensas naves onde os reclusos se amontoam.

O ex-presidente do Parlamento e um dos quatro candidatos nas eleições presidenciais de 12 de junho, Mehdi Karroubi, que, junto com Mir Hussein Moussavi e Mohsen Rezaei, tinha qualificado de "fraudulento" o pleito, enviou esta semana uma carta ao já ex-ministro da Inteligência, Gholam Hossein Mohseni Ejeie, reclamando da prisão dos jovens.

"O assunto chegou a tal ponto que os detidos na prisão de Evin (uma temida prisão de Teerã) agradecem por ter tido a sorte de não estar preso em Kahrizak", dizia Karroubi, em sua carta.

As grandes manifestações de protesto em Teerã e em outras cidades iranianas foram reprimidas pela Polícia iraniana e, nas mesmas, houve 20 mortos e milhares de detidos. EFE msh/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG