Comitê da ONU adverte que crianças da Faixa de Gaza perderam a esperança

Cairo, 26 jun (EFE).- Um comitê da ONU que investiga a situação dos direitos humanos dos palestinos advertiu hoje que as crianças da Faixa de Gaza perderam a esperança e que suas condições de vida pioraram até níveis nunca vistos nos últimos anos.

EFE |

"As crianças de Gaza perderam a esperança, porque vêem que seus pais são humilhados pelos israelenses", disse hoje o presidente de um comitê sobre as práticas israelenses que afetam os direitos humanos dos palestinos, Prasad Kariyawasam.

Nesse sentido, Kariyawasam advertiu, em entrevista coletiva, no Cairo, do perigo de que as crianças percam a esperança no futuro, "porque podem se transformar em extremistas".

O presidente do comitê acrescentou que, após falar com pediatras e médicos especialistas que trabalham com os palestinos, puderam comprovar que a taxa de mortalidade infantil aumentou nos últimos dois anos e que também cresceu a incidência de desordens psicossomáticas nos menores da Faixa de Gaza.

"As crianças são o futuro e, se não se cuidar delas, afetará a nação palestina", disse Kariyawasan, que acrescentou que os menores representam 50% da população de Gaza e são "um grupo muito vulnerável".

Kariyawasam disse que, nas recomendações que o comitê vai a apresentar à Assembléia Geral da ONU, haverá um capítulo especial sobre as crianças.

O comitê, composto por três membros - do Sri Lanka, Senegal e Malásia -, tinha previsto, a princípio, visitar os territórios palestinos para constatar a situação no terreno, mas as autoridades israelenses não permitiram o acesso.

No final, viajaram ao Egito, de onde entraram em contato com palestinos residentes em Gaza e na Cisjordânia, assim como com ativistas israelenses, para reunir suas queixas e elaborar com eles um relatório com recomendações a serem apresentadas à Assembléia Geral da ONU. EFE ssa/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG