Comissário de bordo é preso por ameaça de bomba na Emirates

LONDRES (Reuters) - Um comissário de bordo foi preso na quinta-feira por ter deixado um bilhete de ameaça de bomba a bordo do avião da Emirates, empresa em que trabalhava, causando um susto que provocou o rápido fechamento do Aeroporto Gatwick, de Londres. O australiano Matthew Carney, de 24 anos, deixou em março um bilhete no banheiro no avião que ia de Dubai para Londres, no qual se lia: Material explosivo pode ser encontrado no FWD (compartimento de carga). Temos de agradecer ao Taliban por isso.

Reuters |

Um passageiro a bordo do Boeing 777 encontrou o bilhete 10 minutos antes da aterrissagem e deu o alarme. Quando o avião chegou ao Gatwick, foi levado a uma área de segurança e cercado pela polícia armada.

Os 164 passageiros e 16 tripulantes foram retirados do avião e entrevistados. Carney foi preso pouco depois.

Ele se declarou culpado por dar informação falsa, isso é, ameaça de bomba, no tribunal real de Lewes e preso por 18 meses, disse a polícia.

Seu advogado, Andel Singh, afirmou que Carney estava sob muito estresse e "extremamente cansado" na ocasião, tendo trabalhado em vôos nos mais diferentes horários ao redor do mundo.

O promotor público Dale Sullivan disse que a ameaça custou 42 mil libras (66.340 dólares) à Emirates, que teve de reorganizar vôos em andamento e tomar outras medidas. Alguns passageiros ficaram com medo de avião e disseram que nunca mais pisariam numa aeronave.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG