Comissão peruana acusa Bolívia e Venezuela de ingerência em assuntos internos

(corrige título). Lima, 2 mar (EFE).- Uma comissão do Congresso peruano concluiu que as chamadas Casas del Alba envolvem ingerência dos Governos de Bolívia e Venezuela nos assuntos internos do país, informou hoje a agência oficial de notícias Andina.

EFE |

A comissão pediu ao Governo que declare persona non grata a diplomata venezuelana Virly Torres, que trabalha no consulado de seu país em Lima, e apresente um protesto formal pelo caso, anunciou o presidente do grupo de trabalho, Walter Menchola.

O congressista informou hoje sobre as conclusões e recomendações do grupo legislativo que averiguou durante os últimos meses as atividades das Casas del Alba instaladas no Peru.

Essas organizações fazem referência à Alternativa Bolivariana para as Américas (Alba), patrocinada pelo presidente venezuelano, Hugo Chávez, e que oferecem apoio social e em saúde a setores pobres da sociedade peruana.

Embora o Governo venezuelano não tenha reconhecido formalmente ter vínculo com a organização, representantes de setores políticos e jornalísticos peruanos assinalaram que o grupo faz trabalhos de proselitismo político, o que levou à formação da comissão investigadora.

Menchola disse hoje à agência "Andina" que a comissão recomenda em seu relatório que essas instituições sejam fechadas por serem "usadas para a infiltração política".

O congressista diz que o relatório final de sua comissão contém 31 pontos sobre a suposta intromissão dos Governos de Bolívia e Venezuela em assuntos internos peruanos.

"A resposta contundente e categórica é que há influência, planejamento e uma estratégia geopolítica que está usando como instrumento o denominado apoio ou diplomacia social", assegurou.

Segundo Menchola, entre as evidências está que um grupo de pessoas instiga conflitos sociais, especialmente nas regiões de selva de Loreto e San Martín, e nas zonas andinas de Puno e Cuzco.

O congressista também disse que na "estratégia de implantação" dessa suposta ingerência estão envolvidos mais de 140 dirigentes sociais, e alguns políticos, entre eles os legisladores nacionalistas Víctor Isla e Hilaria Supa.

O trabalho da comissão gerou há um mês o protesto do Governo da Bolívia, depois que seus membros se reunissem com representantes da oposição boliviana para investigar os supostos vínculos das Casas del Alba com o Executivo de Evo Morales. EFE dub/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG