Comissão parlamentar italiana aprova projeto de lei contra uso do véu islâmico

Medida que proíbe uso da burca e do niqab em locais públicos foi adotada na França e na Bélgica

iG São Paulo |

A Comissão de Assuntos Constitucionais do Parlamento italiano aprovou nesta terça-feira um projeto de lei que pretende proibir o uso do véu integral (burca ou niqab) em locais públicos, medida que deve ser aborada pelo plenário da Câmara Baixa em setembro.

Iniciativa de uma deputada do partido de Silvio Berlusconi, o Povo da Liberdade (PDL), a proposta contou com os votos a favor na Comissão da maioria governamental, com abstenção de três partidos, entre eles a União da Democracia Cristã e de Centro (UDC) e a rejeição do opositor Partido Democrata (PD) de centro-esquerda.

França

A medida, que chega depois de o Parlamento francês aprovar uma lei similar no segundo semestre do ano passado, visa a proibir cobrir o rosto em locais públicos com véus e prevê sanções econômicas para quem a descumprir. Além da França, a Bélgica também proibiu o uso do véu islâmico , em abril do ano passado.

Segundo a imprensa italiana, as sanções são ainda mais severas para quem obrigar outra pessoa a usar véus, com multas de até 30 mil euros (US$ 43 mil) e penas de prisão de até um ano.

Em comunicado, a ministra de Igualdade de Oportunidades italiana e também membro do PDL, Mara Carfagna, afirma que o véu integral não é uma escolha livre da mulher mas um "sinal de opressão cultural e física". "Na Itália não existe, como em outros países, uma emergência por causa da burca: os casos de mulheres obrigadas a usar a veste são fatos isolados, felizmente, mas não menos graves", afirmou Carfagna.

*Com EFE

    Leia tudo sobre: véu islâmicoitáliamulçulmanosburcaleivéu islâmico

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG