Comissão obriga ex-senador dos EUA a devolver US$ 2,3 milhões

John Edwards é acusado de ter usado dinheiro arrecadado na campanha de 2008 para encobrir relação fora do casamento

EFE |

AP
Ex-candidato à vice-presidência americana é acusado de falso testemunho, conspiração e contribuições ilegais em campanha (foto de arquivo)
A Comissão Eleitoral (FEC) dos Estados Unidos declarou nesta quinta-feira que o ex-senador John Edwards terá de devolver US$ 2,3 milhões (quase R$ 3,6 milhões) que recebeu durante a campanha de 2008, quando concorreu sem sucesso à candidatura presidencial democrata.

O ex-senador pela Carolina do Norte foi acusado no mês passado de utilizar cerca de US$ 1 milhão de forma ilegal para encobrir uma relação fora do casamento com Rielle Hunter, com quem tem uma filha.

Os seis integrantes da comissão coincidiram que Edwards, que aspirou também à vice-presidência dos EUA em 2004, tinha recebido fundos públicos em excesso e deverá reembolsar o Departamento do Tesouro. A decisão confirma os resultados de uma auditoria divulgada em junho pela FEC.

As leis federais dos EUA exigem que a FEC realize uma auditoria dos comitês políticos criados pelos candidatos que obtêm fundos públicos durante as eleições primárias para escolher os candidatos de cada partido à Casa Branca.

As auditorias determinam se os candidatos tinham direito a receber os fundos públicos que obtiveram e se estes foram usados segundo estipula a lei. Edwards se declarou "inocente" no caso da suposta utilização inadequada de dinheiro, cujo julgamento está marcado para outubro.

    Leia tudo sobre: john edwardseuademocratas

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG