Comissão Interamericana de Direitos Humanos condena execução de mexicano

Washington, 6 ago (EFE).- A Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) condenou hoje a execução do mexicano José Medellín no Texas, ao afirmar que esse estado americano desacatou as medidas cautelares dispostas pelo órgão para proteger a vida do imigrante.

EFE |

Medellín, de 33 anos, condenado pelo assassinato de dois adolescentes em Houston, foi executado ontem (já quarta-feira no Brasil), com uma injeção letal em um centro de detenção para condenados à morte em Hunstville (Texas), apesar da oposição da Corte Internacional de Justiça, que exigia a revisão do caso do mexicano.

Em comunicado, a CIDH, organismo autônomo da Organização dos Estados Americanos (OEA), afirmou que "lamenta" o fato de os Estados Unidos terem desacatado sua solicitações para que a vida de Medellín e de outras pessoas condenadas à morte em circunstâncias semelhantes fosse respeitada.

Por essa razão, a CIDH pediu aos EUA que acate "todas as medidas cautelares que esta ditar". Além disso, exigiu que o país respeite plenamente e de modo adequado suas obrigações internacionais em matéria de direitos humanos, sobretudo as derivadas da Declaração Americana. EFE cai/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG