Comissão europeia prepara marco para permitir ajudas a companhias aéreas

(atualiza com declarações do comissário de Transporte, Siim Kallas, e requisitos para as eventuais ajudas). Bruxelas, 19 abr (EFE).- A Comissão Europeia (CE) está preparada para habilitar um marco similar ao aprovado após os atentados terroristas de 11 de setembro de 2001 nos Estados Unidos, com o objetivo de permitir que os países-membros concedam ajudas às companhias aéreas que tiveram que cancelar voos na Europa.

EFE |

"Estamos preparados para aprovar um marco similar ao do 11 de setembro, que permitiria conceder ajudas estatais para cobrir o custo direto das consequências do evento e dos seguros das companhias aéreas", informou hoje o comissário de Concorrência, o espanhol Joaquín Almunia.

O comissário faz parte do grupo de especialistas criado ontem pelo presidente da Comissão Europeia, José Manuel Durão Barroso, para avaliar o impacto econômico do caos aéreo na União Europeia (UE) causado por uma nuvem de cinzas provocada pela erupção de um vulcão na Islândia, que obrigou o cancelamento de vários voos no continente.

O grupo é liderado pelo vice-presidente da Comissão Europeia e comissário de Transportes, Siim Kallas, que na manhã de hoje se reuniu com representantes das companhias aéreas e dos aeroportos para calcular os danos.

"Primeiro temos que assegurar-nos de que dispomos de uma análise exata da situação para podermos responder adequadamente à crise e para assegurar-nos de que as respostas ao longo da União Europeia estão coordenadas", afirmou Kallas.

A porta-voz de Concorrência, Amelia Torres, por sua parte, esclareceu que as eventuais ajudas não vão estar imediatamente disponíveis para as companhias, pois os Estados-membros devem expressar sua vontade de iniciar as compensações, em primeiro lugar.

Caso os Governos tomem essa decisão, a Comissão Europeia deve dar seu sinal verde a cada expediente. Amelia assegurou que o Executivo comunitário estaria em condições de dar uma resposta em "questão de dias". EFE mgs/ma-pd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG