Comissão Europeia pede diálogo imediato em Honduras

Bruxelas, 29 jun (EFE).- A Comissão Europeia (órgão executivo da União Europeia) pediu hoje que todas as partes envolvidas na crise hondurenha iniciem rapidamente um diálogo, a fim de resolver suas diferenças de maneira pacífica, com total respeito ao marco legal do país.

EFE |

"A Comissão Europeia concede a maior importância ao respeito ao estado de direito, à democracia e às instituições democraticamente escolhidas", afirmou, em comunicado, a comissária de Relações Exteriores da União Europeia (UE), Benita Ferrero-Waldner, que "lamentou" os recentes eventos.

A Comissão, "que tem uma longa história de estreitas relações com Honduras e com toda a região centro-americana", está disposta a apoiar as instituições do país nesse diálogo, afirmou a comissária.

A ajuda econômica prevista para Honduras pelo Executivo comunitário entre 2007 e 2013 é de um total de 223 milhões de euros.

Quanto à possibilidade de exercer uma pressão sobre o país para o restabelecimento da ordem constitucional através de sua exclusão das negociações do Acordo de Associação com a América Central, técnicos do departamento de Ferrero-Waldner se reunirão em algumas horas com os embaixadores centro-americanos.

"A Comissão Europeia dá a maior importância a terminar as negociações com a América Central, e esperamos fazer isso antes do fim deste ano. Vamos nos reunir com os embaixadores antes de dar algum passo", disse a respeito, em entrevista coletiva, a porta-voz da comissária, Christiane Hohmann.

Ferrero-Waldner se reunirá amanhã com o embaixador hondurenho na União Europeia para conhecer em primeira mão a situação no país. EFE met/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG