Comissão eleitoral do Zimbábue promete resultado para a próxima segunda-feira

Harare, 26 abr (EFE).- A Comissão Eleitoral do Zimbábue anunciou hoje que acredita que a apuração provisória das eleições presidenciais de 29 de março terminará na próxima segunda-feira e que os resultados serão divulgados logo que os dados sejam confirmados.

EFE |

O anúncio foi feito durante uma entrevista coletiva pelo presidente da Comissão Eleitoral do Zimbábue, George Chiweshe.

Segundo Chiweshe, a previsão é de que o cômputo seja fechado na segunda-feira e revisado pelos partidos envolvidos no mesmo dia, para logo serem divulgados.

As eleições de 29 de março foram as mais disputadas na história do país. O presidente Robert Mugabe, no poder desde 1980, tentou uma nova reeleição, mas a grave crise econômica pela qual o país passa reduziu muito do apóio que costumava receber, segundo os analistas.

"Confiamos que na segunda-feira o processo (de cômputo dos votos e a apuração de algumas circunscrições) seja concluído, e imediatamente depois convidaremos os candidatos presidenciais para verificar os dados", afirmou Chiweshe.

"Isso levará ao anúncio dos resultados das eleições presidenciais", acrescentou o presidente da Comissão Eleitoral, que insistiu, no entanto, que não pode dizer exatamente quando serão divulgados os resultados.

O opositor Movimento para a Mudança Democrática (MDC) diz que seu candidato presidencial, Morgan Tsvangirai, obteve 50,3% dos votos nessa eleição e atribui 43,8% a Mugabe.

Os dados do MDC estão baseados nas atas eleitorais colocadas fora dos centros de votação depois da apuração particular de cada colégio. Caso esses dados sejam confirmados, Tsvangirai teria ganhado sem a necessidade de um segundo turno.

Mas o Governo sustenta que, de acordo com os dados do pleito parlamentar, nenhum candidato presidencial obteve a metade mais um dos votos, o que indica que haverá necessidade de um segundo turno.

A comunidade internacional vem pedindo a divulgação urgente dos resultados das eleições presidenciais para evitar um aumento da tensão no país.

A Polícia deteve nos últimos dias centenas de militantes da oposição e vários organismos não-governamentais denunciaram a existência de campos clandestinos onde se tortura e detém ilegalmente simpatizantes do MDC.

O anúncio de hoje foi feito enquanto a Comissão Eleitoral continua este fim de semana com a apuração de 23 das 207 circunscrições eleitorais.

Segundo essa apuração, que começou em 19 de abril, a tendência indica que o governante Zanu-PF perdeu a maioria da Câmara baixa do Parlamento. No Senado, as cadeiras parecem ter sido divididas em partes iguais entre o Governo e a oposição. EFE jo/fb

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG