Comissão eleitoral afegã verifica fraude e pede recontagem

CABUL - A comissão eleitoral afegã, vinculada parcialmente à ONU, afirmou nesta terça-feira que encontrou evidências claras e convincentes de fraude nas eleições presidenciais do mês passado, e ordenou uma recontagem parcial.

Redação com agências internacionais |

AP

Monitor de Karzai, Z. Mamuun, observa funcionários das eleições verificando dados
em computador no centro de Comissão Eleitoral Independente, em Cabul

A comissão, que avalia as queixas eleitorais, afirmou em comunicado que os votos devem ser recontados e auditados para qualquer zona eleitoral com mais de 600 votos registrados.

Eles também devem ser recontados em qualquer zona eleitoral onde um candidato recebeu mais de 95 por cento dos votos em seções com mais de 100 votos.

"No curso das investigações, a comissão encontrou claras e convincentes evidências de fraude em diversas zonas eleitorais", explicou a comissão em comunicado.

"A comissão observou ainda que uma grande maioria de zonas eleitorais nas quais encontrou fraude tinha um número de urnas muito acima do que se planejou com base em relatórios de vigilantes sobre quantidade de eleitores", informou a comissão.

A comissão é encabeçada por um canadense e três de seus cinco membros foram indicados pela ONU.

Karzai venceria no 1º turno

O presidente afegão, Hamid Karzai, tem uma ampla vantagem nesta terça-feira nos resultados parciais das eleições presidenciais com 54,1% dos votos, contra 28,3% para seu principal rival, segundo dados da comissão eleitoral após a apuração de 91,6% das urnas. 

Os próximos resultados, que devem incluir 100% dos colégios eleitorais, provavelmente serão anunciados na quinta-feira, informou a Comissão Eleitoral Independente (CEI) afegã.

Os resultados anunciados nesta terça-feira correspondem a 91,6% dos colégios eleitorais, ou seja, 5.719.796 votos.

Karzai tem 54,1% dos votos válidos e supera assim, pela primeira vez, a barreira dos 50% que permitem uma eleição no primeiro turno .

Seu principal rival, o ex-ministro de Relações Exteriores Abdullah Abdullah registra até agora 28,3% dos votos. Abdullah acusa Karzai de fraudes em grande escala com ajuda do Estado afegão.

Leia mais sobre Afeganistão

    Leia tudo sobre: afeganistão

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG