BRASÍLIA (Reuters) - A Comissão de Relações Exteriores do Senado aprovou voto de censura e repúdio nesta terça-feira ao cerco militar à embaixada do Brasil em Tegucigalpa, à suspensão das garantias constitucionais em Honduras e ao fechamento de meios de comunicação naquele país. A proposta foi aprovada por unanimidade pelos membros da comissão, mas ainda terá de receber o crivo do Senado Federal para se tornar válida.

O voto recebeu caráter de urgência e pode ser apreciado pelo plenário nas próximas horas.

Honduras enfrenta uma grave crise política desde que o presidente Manuel Zelaya foi deposto pelo Exército em 28 de junho e expulso do país. Na semana passada, ele reingressou a Honduras e se abrigou na embaixada brasileira.

O líder de facto Roberto Micheletti ordenou a prisão do presidente deposto, suspendeu as liberdades civis, fechou dois veículos de comunicação pró-Zelaya e avisou o Brasil que teria dez dias para decidir sobre o destino do líder deposto, senão a embaixada seria fechada.

(Por Natuza Nery)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.