Comissão de Reconstrução inicia trabalhos no Haiti

Quatro projetos e apoio de US$ 45 milhões ao orçamento foram aprovados hoje

EFE |

PORTO PRÍNCIPE - A Comissão Interina para a Reconstrução do Haiti (CIRH) iniciou suas operações hoje e validou imediatamente a execução de quatro projetos em favor da reconstrução do país, devastado pelo terremoto do dia 12 de janeiro. Ao concluir esta primeira reunião, realizada em Juvénat (periferia leste da capital), os co-presidentes do organismo, o primeiro-ministro haitiano, Jean Max Bellerive, e o ex-presidente americano Bill Clinton, anunciaram que foi aprovado um apoio direto ao orçamento do Governo do Haiti por um montante de US$ 45 milhões.

A Noruega e o Brasil irão doar essa quantia, além de outros recursos financeiros destinados ao fundo, que é outro projeto validado pela CIRH. A Comissão, além disso, concordou com a criação de um fundo de apoio às pequenas e médias empresas com um montante US$ 20 milhões, fornecidos pelo empresário mexicano Carlos Slim e pelo canadense Frank Giustra. Por outro lado, a CIRH validou um projeto de US$ 10 milhões da Fundação Bill Clinton para criar grandes albergues nas áreas de Léogane e Petit Goave (oeste) que foram muito afetadas pelo terremoto e que correm grandes riscos durante a temporada de furacões. O primeiro-ministro Bellerive anunciou que a comissão se pronunciou também sobre outras decisões estudadas durante as últimas semanas.

A CIRH decidiu nomear um diretor-executivo que, segundo os meios de comunicação locais, seria de maneira interina o economista Gabriel Verret, conselheiro do presidente haitiano, René Préval. A Comissão também aceitou utilizar como seus escritórios um local oferecido pelo Canadá, equipado com aos equipamentos necessários para alojar os membros e o pessoal da entidade, que será recrutado em breve. O primeiro-ministro haitiano disse que a comissão trabalhou também sobre a sua estrutura, seus regulamentos internos e um código de conduta para seus membros e empregados. Bellerive precisou que a CIRH conta agora com a participação de 26 membros, incluindo os mais recentes, Japão e Noruega. O ex-presidente Clinton, enviado especial das Nações Unidas ao Haiti, se mostrou satisfeito com o trabalho desenvolvido hoje. "Estou muito impressionado pelas discussões que tivemos", declarou Clinton que afirmou se sentir "muito contente" pelos projetos (apresentados à comissão) terem sido aprovados.

Ele insistiu na necessidade de dispor de créditos para pequenas e médias empresas e disse que isso é um problema crucial nos países subdesenvolvidos. Em nível de projetos concretos relacionados à situação que os desabrigados pelo terremoto ainda passam em meio às cidades cheias de escombros, Clinton declarou que está trabalhando atualmente com o primeiro-ministro haitiano em um projeto para liberar as ruas. O ex-presidente precisou que trata de dispor de uma tecnologia que permite queimar os escombros para produzir energia e assim colocar milhares de pessoas para trabalhar. Por sua vez, Bellerive explicou que o Governo dispõe, por enquanto, de US$ 100 milhões para começar a reconstruir o centro da cidade com edifícios administrativos, enquanto o setor privado está convidado a reconstruir os espaços comerciais. Paralelamente ao trabalho da CIRH, Bellerive indicou que vários projetos estão sendo implementados fora das áreas afetadas pelo terremoto, em setores de infraestrutura, agricultura, educação e saúde pública.

    Leia tudo sobre: HaitiBill Clintonrecontrução

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG