Comissão de Direitos Humanos mexicana pede o anonimato dos doentes de gripe

México, 15 mai (EFE).- A Comissão Nacional de Direitos Humanos (CNDH) do México pediu hoje às autoridades do país para respeitar e garantir o direito à intimidade das pessoas contagiadas pela gripe suína para evitar sua discriminação ou segregação.

EFE |

O presidente da CNDH, José Luis Soberanes, assegurou em comunicado que, por respeito, as vítimas afetadas pelo vírus, já estejam em tratamento ou tenham morrido, merecem "a proteção de seus dados pessoais, por isso que o setor de saúde deve reservar os nomes dos contagiados".

"A divulgação ou o uso não médico de tais dados é contrário a uma das garantias fundamentais amparadas pela ordem jurídica em vigor (...), constitui um agravo aos doentes e a suas famílias, pois podem ser vítimas de discriminação ou segregação", disse Soberanes.

Ele insistiu em comunicado em que a medida deve incluir os imigrantes ilegais centro-americanos que possam estar contagiados.

Soberanes sugere a estes últimos que acudam ao médico se apresentarem sintomas de gripe e que se lhes deem garantias de "que não serão detidos e deportados a seus países de origem".

Segundo números oficiais, até esta sexta-feira morreram 66 pessoas por causa da epidemia de gripe suína e se confirmou que outras 2,829 mil pessoas estão contagiadas.

Apesar do nome, a gripe suína não apresenta risco de infecção por ingestão de carne de porco e derivados. EFE ea/ma

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG