Comissão de D.Humanos condena assassinatos de jornalistas em Honduras

Washington, 22 abr (EFE).- A Comissão Interamericana de Direitos Humanos, vinculada à Organização dos Estados Americanos (OEA), condenou hoje o assassinato do jornalista Jorge Alberto Georgino Orellana, ocorrido na terça-feira em San Pedro Sula (Honduras), e expressou sua preocupação com a grave situação da imprensa no país.

EFE |

Em comunicado, a Relatoria Especial para a Liberdade de Expressão da Comissão explicou que este é o sexto assassinato de um jornalista em Honduras neste ano e afirmou que existe uma "grave situação de indefesa e vulnerabilidade da imprensa" nesse país.

A Relatoria, dirigida pela colombiana Catalina Botero, fez um apelo "urgente" ao Estado hondurenho para que adote "todas as medidas necessárias para prevenir estes crimes, proteger os jornalistas em risco e avançar de maneira pronta e decidida nas investigações correspondentes".

O Governo de Honduras confirmou hoje que buscará o apoio de investigadores de vários países, entre os quais Espanha e Colômbia, para esclarecer a onda de assassinatos de jornalistas, informou o presidente hondurenho, Porfirio Lobo. EFE cai/sa

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG