Comissão de Desenvolvimento do PE pede Governo de transição no Zimbábue

Bruxelas, 25 jun (EFE).- A Comissão de Desenvolvimento do Parlamento Europeu aprovou hoje uma proposta de resolução na qual pede um Governo transitório de união nacional para acabar com o clima de terror que é vivido no Zimbábue desde a primeira rodada das eleições presidenciais.

EFE |

O texto, que será votado no Plenário da Eurocâmara em julho, defende que este novo Governo receba a incumbência de organizar novas eleições.

Além disso, o gabinete - que deveria ter tanto membros do opositor Movimento para a Mudança Democrática (MDC, em inglês) como do partido governamental de Robert Mugabe - poderia contribuir para estabilizar a economia, resolver a crise humanitária e criar as condições necessárias para as eleições, segundo os eurodeputados.

Por outro lado, a comissão presidida pelo espanhol Josep Borrell pede em sua resolução o final de "todas as restrições para a distribuição de ajuda humanitária" impostas pelo atual Governo e pede à UE que canalize sua assistência diretamente através da ONG sem passagem pelas autoridades de Harare.

Além disso, os eurodeputados defendem o endurecimento das sanções contra os membros do regime caso os esforços mediadores não frutifiquem e a "violência de Estado não seja detida".

O texto também pede que os países da UE, caso aconteça isto, não reconheçam um novo mandato de Mugabe e apela à China e à Líbia para que "encerrem seu apoio para o regime de Harare".

Hoje, o primeiro-ministro do Reino Unido, Gordon Brown, já anunciou que seu Governo estava preparando sanções mais duras contra pessoas específicas do regime, cuja atuação nos últimos meses foi duramente criticada pelas instituições da UE. EFE mvs/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG